Uma Brincadeira tornada demasiado séria

Teve início o ciclo de conferências do Projeto VidaGO, promovido pela EB Vidago (Agrupamento de escolas Fernão de Magalhães) no dia 11 de Junho, no Balneário Pedagógico de Vidago.

Perante um auditório bem composto, prova que o projeto continua a “mexer” com as rotinas da população, que, nem que seja pela curiosidade, dispôs-se, a deslocar-se a um espaço tão nobre quanto moderno, pelas 21.30 horas para mais um evento de natureza cultural, assistir a uma conferência e aproveitar para tertuliar um pouco.
Os conferencistas convidados integram o projeto “Laboratório das Artes”, e vieram de Guimarães; Nuno Florêncio o mentor do Projeto VidaGO é um desses elementos, acompanhados por Jorge Magalhães e Miguel Oliveira.

Ao longo de aproximadamente duas horas fez-se uma retrospetiva da história do Laboratório das Artes como se de um conto se tratasse. De como, uma brincadeira de jovens, de amigos, recém-formados na área das artes plásticas se tornou em algo bem sério; das dificuldades iniciais, do crescimento, da afirmação no panorama das artes em Guimarães, antes, durante a após Guimarães ser capital europeia da cultura, brincadeira que permitiu conhecer, estabelecer contactos, privar com os expoentes máximos ligados a diferentes formas de expressão artística, num processo de crescimento, que levou os elementos do Laboratório das Artes a serem eles próprios referências não só a nível local e regional, mas também nacional, como evidenciam os convites de personalidades e instituições de renome, como o Centro Cultural Vila Flor ou Serralves para participações em eventos.

O denominador comum a esta brincadeira que se tornou demasiado séria, em que se assumiram projetos de uma dimensão até financeira significativa é a perseverança e a resiliência face às dificuldades que surgiram pelo caminho.

O sumo desta conferência também podemos concluir foi pedagógico. Face ao paralelismo com a realidade local, de Vidago, vila repleta de hotéis e pensões desativados e abandonados, que até dá dó, realidade similar à que era encontrada em Guimarães nos tempos do início do Laboratório das Artes, em que jovens artistas locais, perante regras bem definidas com os proprietários de espaços em tais condições assumiam tais espaços que eram transformados em espaços de arte, para a arte, para todos. Ideia lançada tipo desafio aos jovens, ocupem regradamente edifícios abandonados (com permissão dos proprietários), façam a reconversão funcional em espaços abertos, por exemplo às artes, à cultura, à educação, … criem brincadeiras que depois se possam tornar demasiado sérias.

Agradecemos mais uma vez às termas de Chaves, à Vidagus Termas pela disponibilização do espaço do Balneário Pedagógico para a realização desta conferência. Agradecemos ainda à Câmara Municipal de Chaves, ao Senhor Agostinho da “Bellíssima” pelo apoio dado para a realização desta conferência e ao Laboratório das Artes de Guimarães pela disponibilidade e pela qualidade da conferência.

Aproveitamos para convidar a população a assistir, no Balneário Pedagógico, às próximas conferência do Projeto VidaGO, no próximos dias 13, 18 e 25 de Junho, sempre pelas 21.30 horas, sendo conferencistas o Dr. Pedro Silva, Diretor Artístico do Centro Cultural Vila Flor, de Guimarães, o Prof. Dr. Joaquim Escola, da UTAD e António Coelho, alpinista profissional, respetivamente.

Copyright © 2006-2019 Agrupamento de Escolas Fernão de Magalhães